Pesquisar neste blog

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Definindo Identidade

Antes de iniciar as reflexões pedagógicas, gostaria de conjecturar um pouco sobre: “quem eu sou?” ou “quem eu estou sendo?”, o objetivo é clarear para mim e para um possível leitor, minha forma de conceber e se portar no mundo, minhas expectativas e frustrações
A primeira definição que me veio à cabeça fora, brilhantemente, cantada por Belchior: “...apenas um rapaz Latino-Americano sem dinheiro...
Eu poderia parar o texto aqui e colar o restante da musica, mas por um exercício ou masturbação intelectual, vamos ver se conseguimos “tirar mais alguma coisa desta cartola”.

Assim, estufo o peito e digo alto e bom tom: Eu sou “Cristão e Socialista” ou “Socialista Cristão”, mas o melhor é “Cristão Socialista”!
Esta definição pode ser entendida de duas formas: a primeira é positiva, num processo de autoconhecimento, buscando resolver a máxima socrática: “Conheça-te a ti mesmo!”, eu cheguei ao mais profundo de meu SER e descobri que sou a tentativa de concretização da práxis de Jesus Cristo e Karl Marx, simultaneamente! (nossa! quanta pretensão!)
A segunda forma de entender a definição é mais ou menos negativa: Eu criei uma mascara para me “defender” do mundo e do contato com meu EU (myself), e por N razões e história de vida, achei que este é o melhor e mais digno personagem (persona – do grego) que poderei representar na minha breve jornada neste mundo.

Calma! Calma! Nobre amigo leitor que está perdendo seu precioso tempo aqui, neste engodo de palavras.
Vamos procurar fugir destes estereótipos e caracterizar em algumas palavras o meu EU – Maior.

Eu sou um homem de fé, e acredito em um Deus que se fez carne na forma de um “indefeso menino na manjedoura”. Portanto, o Deus que acredito é de extrema bondade e nunca, exatamente nunca, fará mal ou castigará alguém.
Este Deus tem um plano de Salvação para a humanidade e em seu plano ninguém passará fome ou acumulará bens desnecessários e em excesso.
Para tal, Deus assume a fragilidade humana e enfrenta o Mal (Acumulação de Bens e suas conseqüências) com todas as nossas limitações e dores.
O Menino-Deus nos convida a participar da implantação do seu plano de Salvação.
Assim, para desempenhar minha parcela na construção do Reino, me tornei marxista e/ou socialista. Pois, através de Marx e seus “continuadores”, eu procuro entender as causas da opressão e exclusão.
E para concretizar minha Práxis (Prática + Teoria), Eu sou um professor, através da Educação, procuro dar um sentido a Minha Vida e melhorar o mundo e a vida das pessoas.

Com este pequeno relatório, agora, eu tenho algumas pistas de quem eu sou.

Eu sou Professor que acredita em Deus e em um mundo melhor, procuro contribuir com a mudança através de minha prática na sala de aula.
Porém, eu não sei bem como fazer, estou perdido neste mundo, onde as grandes utopias desapareceram, mas vou “tateando” com esperança procurando...

E é este o objetivo deste Blog, ajudar a mim e a outros educadores e militantes descobrir os “comos” de uma educação transformadora.