Pesquisar neste blog

sábado, 23 de agosto de 2014

Sina do Filósofo

Você é um filósofo...
É...
Seu imbecil!

Isso mesmo,
Ignorante, imbecil!

Não procure se justificar.
Sabe que sua ignorância
nada tem a ver
com a socrática.

Embora que
o mestre da maiêutica,
como você,
cicuta tomou!

É sua sina...
Tecidas pelos carretéis
furiosos das Moiras!

Não lhe faltaram
avisos!
De Tales a Morin...

Só lhe resta
a zombação
proferida pelas bocas
de escravos da aparência!

Teus vizinhos,
amigos,
e até familiares.

De sorte,
pena sentirão,
depois de tanto
opróbrio e escarnio!

E sabe do pior.
O Ser não existe!
Apenas
o ente.

Entendeu?
Do’
ente!

Para que Shakespeare?
To be or
not to be?!

Se nem
se localizar
sabe!

E se pensou
que viveria
um Romeu
ou Julieta.

Da boca
da pessoa amada
sempre ouvirá:
blá-blá-blá!

Somente Epicuro
embebedado pelo
sagrado néctar
do Deus Baco
lhe consolará!


Ler outras poesias do autor