Pesquisar neste blog

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Carta para meu amigo homossexual

           Olá meu querido amigo. Paz e Bem!


Nesses últimos dias, me lembrei de você e do dia em que me contou que era gay. Você se lembra? Nós éramos muito jovens, tínhamos mais ou menos uns quinze anos.
Nós atuávamos em movimentos sociais ligados à igreja. Por isso, você estava todo receoso diante de uma possível reação negativa minha, mas, ao mesmo tempo, necessitava de meu apoio.  E em meio a lágrimas, falou sobre sua orientação sexual.
Você disse que era uma pessoa suja, o pior dos pecadores. E que todos os dias, se ajoelhava e pedia a Deus que livrasse você da homossexualidade, e isso não ocorria. E que já tinha tentado várias formas de se tornar "hetero", como: namorar algumas meninas, se autoflagelar, nos momentos, em que sentia atração sexual etc., mas nada adiantava. E, você estava desesperado e pensava em suicidar.
Eu preciso te confessar que fiquei sem saber o que fazer e o que te dizer. Talvez devido a pouca idade me faltasse experiência de vida e conhecimento teórico. Mas mesmo assim, fiquei extremamente comovido com o seu sofrimento. A única coisa que me veio à cabeça foi tranquilizá-lo e tentar impedir que você fizesse alguma bobeira contra a sua vida.
Eu disse que você não era uma pessoa suja nem ruim e que se você era homossexual era porque Deus o fez assim. Então, não havia pecado nenhum em assumir a forma como Deus o fez, ao contrário, o pecado seria negar a sua identidade.
Nós falamos outras coisas, mas não lembro mais. Eu só sei que aquele dia não saiu de minha memória e todas às vezes que preciso falar sobre homossexualidade, recordo daquele dia. Eu também não sei se o que te falei estava certo ou não, porém carrego como verdade. Você sabe outra explicação para a sua orientação sexual, além daquela que te dei? Se souber me diga.
Meu querido amigo. Como a vida é passageira. Em um piscar... já passou. Essa nossa conversa foi há quase duas décadas. Quantas coisas que fizemos depois dela! Eu me entreguei aos livros e à reflexão filosófica. Você às artes, em especial ao teatro. E nesse tempo todo, ainda, a sociedade não evoluiu, pois os mesmos preconceitos de outrora continuam a oprimir.
Veja bem! Há vários fatores na sociedade que estão prejudicando os homossexuais. Assim para que haja o fim do preconceito é preciso pensar e rever vários pontos presentes em nossa sociedade, esses ultrapassavam e incluem a especificidade da orientação sexual.
A nossa sociedade é um todo complexo, ou seja, ela é constituída por um emaranhado de pensamentos, ações, indivíduos que compõem o todo da sociedade. E por isso, para que haja uma mudança em uma de suas particularidades é preciso que simultaneamente haja uma mudança no todo da sociedade e vice-versa.
Hoje, nós assistimos uma efervescência de vários grupos sociais, esses que seguem as mais variadas ideologias e lutam pela melhoria de diversos pontos particulares. Só que esses grupos possuem poucas ou nenhumas ligações entre eles. Cada qual cuida do que lhe é específico.
É claro que esses grupos estão conseguindo, ao longo do seu processo de luta, várias conquistas. Mas essas conquistas, muitas vezes, são superficiais e não mudam a essência da sociedade.
E ademais, nós precisamos de mudanças significativas na sociedade. A humanidade está ameaçada de extinção. Basta ver os problemas ambientais que nos assolam e a previsão que esses aumentem significativamente nos próximos anos.
Por isso, se faz necessário uma mudança radical no modo de pensar e agir da humanidade. E nós só conseguiremos isso com a união das pessoas que pensam de forma diferente. É preciso que as pessoas que participam de um grupo social percebam que sua luta somente se concretizará plenamente quando as lutas de outros grupos também se concretizarem.
Então, meu amigo. Eu estou convidando-o para comigo militar na melhoria do mundo. Não é para você abandonar a luta em prol dos direitos dos homossexuais, mas para agir e pensar a sua luta especifica dentro de uma mudança maior na sociedade.
Imagine só o impacto que teria uma greve dos professores animada pela alegria da parada gay? E os professores discutindo nas aulas sobre o direito dos homossexuais?
É claro que somente a união desses dois grupos não basta, é preciso a união de todos. Agora. Imagine, uma paralisação em massa da sociedade. Exigiríamos uma mudança radical. Todos os campos seriam contemplados, exigiríamos uma maior proteção do meio ambiente; o fim da pobreza; melhorias nos serviços públicos; adentraríamos na luta política, escolheríamos apenas os candidatos que realmente participam das lutas em prol da sociedade...
Mas, para que isso ocorra, como disse há pouco, precisaríamos mudar o nosso modo de pensar e agir. Eu gostaria de pedir a você, meu grande amigo, que não se fechasse em sua luta específica, a fim de que haja a participação dos demais em sua luta e que você se abrisse às demais lutas.
Ultimamente, você está fazendo umas declarações que está impossibilitando a participação dos heterossexuais em sua luta, a começar pela sigla que caracteriza o seu movimento social. Antes era GLS (gays, lésbicas e simpatizantes), depois passou para GLBS, incluindo os bissessexuais. Agora, tem tanta letra na sigla que nem mais sei o que é o que. Mas acho que não há nela espaço para os heterossexuais.
Eu gostaria que você pensasse nisso, pois eu gostaria de colaborar em sua luta. Eu tenho a minha sexualidade muito bem definida e, por isso mesmo, não sou homofóbico. Afinal, etimologicamente, homofóbico quer dizer medo do igual. Assim, se há pessoas que tem medo do igual e isso as levam a agredir esse igual, é porque elas são iguais ao que teme, ou seja, elas também são homossexuais, só que, ao contrário de você, elas não tiveram a coragem de assumir (estão no armário) e temem que um dia a aproximação desse as leve a apaixonar por um gay, que igual a si.
E você está fazendo umas declarações que negam a heterossexualidade, nelas todas as pessoas são homossexuais e a heterossexualidade é apenas uma determinação social. Por favor, não faça o mesmo erro que a sociedade fez com você. A sexualidade é algo específico de cada ser humano e não há uma única forma de sexualidade. Talvez, o que seja comum a todos é que cada pessoa tem uma forma de sexualidade diferente dos demais.
E por falar em etimologia. De onde você tirou que o correto é homossexualidade e não homossexualismo? Que dicionário que você viu que não existe mais a palavra homossexualismo? Por que a palavra homossexualismo quer dizer doença?
Os sufixos utilizados para denominar doença são: “ite” “íase” e “ose”. O “ismo”, não quer dizer propriamente uma doença, mas serve para a formação de substantivos que exprimem uma ação. Assim, o budismo é um conjunto de crenças e práticas, baseadas nos ensinamentos atribuídos a Siddhartha Gautama, mais conhecido como Buda (O Iluminado); marxismo: corrente filosofia que segue as ideias de Karl Marx; heroísmo: ato heroico realizado por alguém, etc.
É claro que há doenças com o sufixo “ismo”, por exemplo: autismo, daltonismo, mas também há doenças com o sufixo “dade”, por exemplo: obesidade, esterilidade, infertilidade.
Aqui vai uma dica de um amigo. O “dade” dá a ideia de algo passageiro, enquanto o “ismo” dá a ideia de algo duradouro. Por exemplo, mesmo que a cristandade não exista mais, o cristianismo continuará como doutrina. E pelas nossas conversas, meu amigo, a sua orientação sexual, com a graça de Deus, nunca mudará. Caso não, você teria mudado, não é?
Cuidado para em nome de uma ideia, que está errada, de “expressão politicamente correta” você não perca aliados, que possam colaborar em sua causa. As forças da extrema direita estão se unindo e conseguindo um maior número de adeptos. Nós temos que nos unir! E para tal evitar tudo aquilo que possa nos separar.
Vale a máxima latina: “Para dominar é preciso dividir”.
Mas, calma! Esse fenômeno não é exclusivo dos homossexuais. Ele faz parte da contemporaneidade. Como eu disse há um fechamento dos grupos. As pessoas estão procurando se identificar com a sua particularidade e se esquecem do todo.
Bom meu querido amigo.
Eu só estou escrevendo para te mostrar da necessidade que temos de unirmo-nos para combater os preconceitos e os erros da sociedade, esses que nos oprimem e está paulatinamente destruindo a vida das pessoas e do planeta.
E de maneira nenhuma, eu estou dizendo que vocês estão fechados e nós professores somos abertos à reflexão e estamos todos dispostos a ajudá-los em sua luta.
Ao contrário, nós também estamos fechados em nossos mundinhos. E muitos carregam os mais perversos preconceitos e não conseguem nem fazer a critica sobre as causas dos problemas da educação.
Mas, meu amigo!? Se não for você e eu, quem fará a mudança? Alguém tem que começar, não é?
Um grande abraço e tudo de bom.
E se você não concordou com o que escrevi, você pode rebater, contra argumentar. Espero que, ao menos, esta carta sirva para mantermos contato.

De seu amigo.


Professor Wilson Horvath




Veja também: "Kit Escola Sem Homofobia".