Pesquisar neste blog

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Acerca da Felicidade: o tudo e o nada

Wilson Horvath


Como posso ser feliz?
Se não me identifico
pelo que sou,
mas pelo que tenho?


E se nada tenho,
vivo buscando ter,
e esqueço-me de ser.


E o que tenho,
é como nada ter,
pois nada sou,
pelo que tenho.


Nada! não quero ser, 
então, preciso ter, 
que tudo é,
para quem nada é.


O nada vira tudo
e o tudo é o nada,
que me cega para o tudo
e só me faz ver o nada.


Minha vida é um nada,
que torna isso tudo
insuportável.


Jogo-me no eterno nada?
Ou busco outro nada,
acreditando ser ele
o tudo?


Como acordar para o tudo?
E esquecer o nada?
Se sou um nada?
Que quer tudo?


Nada!
Tudo!
Tudo!
Nada!


Torno para sempre
um nada?
Ou supero
isso tudo?


Como posso
não querer nada,
desse tudo?


E buscar o tudo,
se só vejo
o nada?
Talvez, o tudo,
esteja onde,
eu acreditava
ser o nada.


Então,
serei tudo e
não precisarei
de nada.