Pesquisar neste blog

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Operadores da Complexidade 1: Princípio Hologramático

Marcos Antônio Lorieri

Princípio hologramático. É um princípio derivado da idéia de holograma. “Um holograma é uma imagem em que cada ponto contém a quase totalidade da informação sobre o objeto representado.” (MORIN, 2005, p. 302) Cada ponto, ou cada parte de um todo, traz a quase totalidade da informação do todo. “O princípio hologramático significa que não apenas a parte está num todo, mas que o todo está inscrito, de certa maneira, na parte.” (Idem, p. 302) Morin dá como exemplo a célula de um ser vivo. No ser humano cada célula carrega quase toda a informação da totalidade de cada ser humano. Cada membro de uma sociedade carrega em si mesmo características básicas da sociedade toda. Isso indica o aparente paradoxo dos sistemas em que a parte está no todo e o todo está inscrito na parte, ou seja, o indivíduo está na sociedade e esta, por intermédio da cultura, da linguagem e das normas, está em cada indivíduo. Assim, “cada célula é uma parte de um todo – o organismo global –, mas também o todo está na parte: a totalidade do patrimônio genético está presente em cada célula individual [...]”. (MORIN, 2006a, p.94).
   Isso ocorre com cada subjetividade: cada um de nós carrega a quase totalidade das informações do contexto no qual nos constituímos. Somos marcados por nossas totalidades, assim como nós as marcamos.  


Obs.: Não deixe de ler o texto: Da necessidade de um pensamento complexo de Edgar Morin.
Esse texto traz de forma sintética os principais fundamentos do Pensamento Complexo.