Pesquisar neste blog

sábado, 8 de março de 2014

Gotas filosóficas em homenagem ao dia Internacional da Mulher

(Wilson Horvath)


Hoje, 08 de março, é uma data especial, comemoramos o dia Internacional da Mulher, por isso passei o dia pensando em escrever algo que fosse significativo para tamanha ocasião. Queria expressar palavras que fossem bonitas, comparáveis minimamente à extrema beleza que delas emanam.
Entretanto não é tão fácil para um homem homenagear as mulheres, haja vista que temos uma enorme dívida para com elas. Nascemos das entranhas de uma mulher; recebemos delas (avó, tia, irmã) os primeiros carinhos e cuidados; fomos escolarizados basicamente por professoras; estabelecemos com elas laços de amizade, companheirismo profissional... e nos apaixonamos por uma mulher especial, sem a qual nossa vida perderia todo o sentido e encanto.
Por esses motivos e outros tantos, sou obrigado a concordar que todos os 365 dias do ano são “dias das mulheres”.
Então, por que festejar esta data? Talvez, seja porque este dia seja mais dedicado aos homens do que as mulheres... Calma, já explico!
Primeiramente, devo deixar claro que obviamente são as mulheres que devem receber todas as homenagens e as nossas mais belas demonstrações de afeto, gratidão.
Mas, então, por que eu disse a cima tamanha heresia? Como esse dia pode ser dedicado mais aos homens?
A comemoração desta data não se deu ao acaso, como foi, por exemplo, a escolha do dia das crianças ou o do dia do homem, se esse existir. Ela rememora um episódio triste e sangrento de nossa história.

No dia 08 de Março de 1857, um grupo de mulheres, operárias da indústria têxtil, na cidade Nova Iorque (EUA), organizaram uma greve, reivindicando melhores condições de trabalho, redução da jornada – elas trabalhavam cerca de 16 horas por dia – e salários equiparados aos que recebiam os homens – o salário das mulheres, em média correspondia a um terço do salário masculino.
A greve foi duramente contida pelos órgãos de repressão. Soldados estadunidenses as trancaram na fábrica e atearam fogo, queimando vivas cerca de cento e trinta mulheres.
Essa data nasceu, portanto, devido a um ato covarde de machismo que assombra nossa sociedade desde o início de nosso atual modelo civilizatório há aproximadamente uns vinte mil (?) e que persiste, infelizmente, até os dias atuais.
Relembrar e festejar essa data é, assim, uma forma de combater episódios como aquele. É deixar claro nosso desejo de que eles não se repitam mais. Porém, para tal, é preciso uma tomada de consciência radical por parte da sociedade. Mulheres e homens devem se engajar na luta contra esse flagelo milenar.

As conquistas que as mulheres veem conseguindo nos últimos anos não foram concessões dos homens, muito menos atos de bondades deles. Ao contrário, elas as conquistaram por meio de duras lutas, em que muitas mulheres foram agredidas, discriminadas, violentadas, mortas.
Assim, ao dizer que esse dia é mais dedicado aos homens, não estou falando que as mulheres não devam refleti-lo e lutar por seus direitos. Infelizmente, uma grande parcela das mulheres ainda adota para si a ideologia machista e se cala diante da opressão. A inserção maior de mulheres na luta é fator primordial para que tenhamos uma sociedade com maior  igualdade de gênero.
Nós, homens, também somos convocados a participar desse processo. Embora, como já foi dito, temos uma enorme dívida para com elas, nos é muito difícil abrir mão do trono patriarcal estabelecido ao longo dos séculos. Por isso, digo que esse dia deve ser mais dedicado a nós.
Além de inserirmos na luta pela igualdade de direitos, devemos repensar nossas relações pessoais. E essa é uma tarefa penosa, que nos exige muita reflexão, questionamento, autocorreção. E nesse processo, a mulher também exerce um papel fundamental, pois muitos fatos podem parecer normal para o homem. É preciso ter em mente, que ele foi educado assim, logo é preciso que a mulher diga o que não é bom.
De maneira nenhuma, estou dizendo que o homem deva ser um “bobo”, um “pau mandado” nas mãos das mulheres. E elas nem querem isso!
Para iluminar a reflexão, através da Filosofia, em especial do Pensamento Complexo, o Princípio Dialógico. Esse princípio diz que a causa gera uma consequência, mas a consequência também é a geradora da causa. Para entendê-lo, buscamos como modelo, a chuva. Ela é causada pela evaporação das águas, mas essas mesmas são resultantes das chuvas. Ou seja, causa gera efeito e efeito gera causa.
Partindo desse princípio, nós homens temos uma enorme vantagem, nos basta, tentar reproduzir a forma como as mulheres de antemão conduzem suas relações. Se elas nos tratam com humanidade, com amor; sejamos nós o máximo possível humanos e amorosos em nossas relações, quaisquer que sejam elas: materna, profissional, amigável. Por experiência própria, se conseguirmos fazer isso, nos surpreenderemos com a reciprocidade.
O mesmo vale para a relação conjugal, muitos homens reclamam do autoritarismo estabelecido por sua esposa, da falta de liberdade. Mas, ao mesmo tempo, são verdadeiros ditadores.
O princípio dialógico vale tanto para o bem como para o mal. É difícil estabelecer o diálogo com alguém que não ouve! A força da reação é proporcional a da ação, que levará novas ações e reações de mesma intensidade.
E do mesmo modo que os homens gostam de liberdade, as mulheres também tem apreço por ela. Elas precisam de espaço; faz parte de suas vidas quererem estar a sós; divertirem-se com suas amigas (os). Quer fazer o mesmo? Ela também quer!
Isso vale para tudo, até mesmo para aqueles que querem ter relações extraconjugais. Se um homem deseja esse tipo de relações, pode ter certeza que há mulheres que também compartilham desse desejo. Logo procure uma mulher que pensa como você. Conversem, estabeleçam regras. Muitos casais vivem muito bem assim, com laços de cumplicidades e amor duradouros. Agora se não quiser um par de chifres na cabeça, não a traia.
A mulher valoriza o homem, o apoia em seus projetos, o ajuda sempre. É muito pedir que se faça o mesmo!? Vale o ditado popular: "Ao lado de um grande homem está uma enorme mulher". Podemos acrescentar a esse ditado, o seguinte dizer: seja um enorme homem e terá uma gigante companheira! (Olha o Princípio Dialógico!).
É bom saber que mulher tem TPM, mas, do mesmo modo, é preciso que saibamos igualmente que nós homens somos insuportáveis em certos dias nem mesmo nós nos suportamos. Como ainda não há um estudo sobre o porquê disso, vou criar uma hipótese: talvez o nível de nossa testosterona baixe uma vez por mês, abalando toda a nossa pyque. Logo, sofremos de TPBT (Tesão pré baixa testosterona).
Para encerrar, gostaria de apresentar um aspecto importantíssimo aos homens: a mudança do sentimento de posse para o de eterna conquista. Talvez isso seja de fato o amor! A mulher se doa por completa na relação, siga o princípio dialógico, se doe igualmente! Busque conquistá-la sempre. Ação ↔ reação ↔ ação...
Mas, nunca se esqueça! O homem é o caçador! Use toda a sua masculinidade na pegada... Aqui siga a risca o que nossos antepassados hominídeos, os que viveram antes do atual modelo civilizatório, faziam!
E Aproveite esse dia, 08 de março. Se não o fez nessa data, você tem os outros 364 dias que são delas, para tal.  A abarrote de carinho, flores; dê-lhe um presente, não precisa ser caro, porém escolha um que mostre que você a ama, não vá comprar uma panela.
Esse dia nos serve para dizer que toda mulher deve ser tratada como ela é, um ser especial, único, amável.
E você verá nos olhos dela o preludio de como o princípio dialógico é bom... Muito bom!



Beijos! E um feliz Dia Internacional das Mulheres!